Congresso Estadual 2019

Slider

Vídeos

Notícias

Ministérios

Artigos

Formação e Espiritualidade

RCC Bahia

RCC Brasil

» » » » » Último dia do 18º Congresso Estadual da RCC Bahia proporciona aos congressistas o desejo de sempre pedirem mais do Espírito Santo deixando-se lançar em suas águas


Com um público de aproximadamente 4.000 a 4.500 carismáticos o 18º Congresso Estadual da Renovação Carismática Católica chegou ao seu último dia com muita graça, alegria, fraternidade e milagres. A promessa do Senhor se cumpriu e ainda há de se cumprir pós-Congresso.

Iniciando novamente a manhã com o Ofício da Imaculada da Conceição os congressistas foram chegando repletos do Espírito Santo para a pregação de Vicente Machado, Presidente do Conselho Estadual da RCC Goiás com o tema: Comunhão Fraterna exortando principalmente, os coordenadores de Grupos de Oração que a RCC tem de mais precioso não são os diversos ministérios que os servos exercem, nem os bens materiais ou estruturas físicas. O mais precioso são as pessoas, as “ovelhas”. Reforçando a exortação: “Cuidem delas com amor”

Um momento fortíssimo durante a pregação de Vicente foi momento em que convocou uma criança para representar o Espírito Santo demonstrando que quando se chama pouco o Espírito Santo é como aquela criança pequena, frágil e vulnerável, depois convocou todos os homens, como se estivesse chamando “Vem, vem, Espírito Santo!” e os homens foram chegando mais próximo ao palco e em uma atitude de coragem se lançou nos braços dos homens, como se estivesse se “deixando jogar” no Espírito Santo para que Ele o conduzisse, o levasse para onde Ele queira, o fortalecesse para a missão, o capacitasse para o seu Ministério. Afirmando que é desse modo que todos deveriam agir.


Depois Vicente motivou a todos a rezar por seus Grupos de Oração, sua Família carismática.

Logo em seguida, Frederico Mastroangelo seguiu com uma grande motivação ao Espírito Santo com o tema de sua pregação: se o Teu Espírito pode fazer mais em mim, eu quero. Motivou a todos a reconhecer as maravilhas que o Espírito Santo já tem feito em nossas vidas, mas Ele ainda pode fazer muito mais se nós nos abrirmos mais e clamarmos mais.

Fred ilustrou que se clamarmos mais o Espírito Santo teremos mais missão, mais evangelização, mais Grupos de Oração nas ruas, mais alegria e mais propagação da graça de Deus.

Ainda enfatizou aos congressistas que é preciso abrir o coração, permitindo que Deus haja, matando a sede espiritual e realizando milagres, basta confiar e ser obediente. Afirmando que alicerçados na Palavra de Deus devemos levar a sua palavra de amor a todos os que não o conhece. Dessa forma, exortou aos membros de Grupos de Oração espalhados por toda a Bahia a renovar o seu chamado missionário e vivenciar um novo tempo de evangelização em sua Jerusalém.

As crianças e adolescentes tiveram um momento especial para apresentar no palco tudo que eles preparam e vivenciaram no Congressinho e Adolesantos para mostrar a todos, principalmente, aos seus pais.

Fechando com “chave de ouro” o 18º Congresso Estadual da RCC Bahia concluiu seu dia com a Santa Missa do 30º Domingo do Tempo Comum sendo, mais uma vez presidida por Dom José Edson Santana Oliveira, Bispo da Diocese de Eunápolis; Dom Carlos, Bispo da Diocese de Itabuna; Frei Cristovão, da Diocese de Eunápolis, Pe. Anderson e Pe. Ezequias, da Diocese de Itabuna; Pe. Luiz Eduardo, Pe. Antonio Carlos Ré, Pe. Marco e Pe. Ivan, da Diocese de Eunápolis; Pe. José Leandro, da Diocese de Barra; Pe. Rogério, da Diocese de Irecê; Pe. Paulo Roberto, da Diocese de Camaçari; Diácono Renato, da Diocese de Cruz das Almas e Diáconos Everaldo e Sebastião, da Diocese de Camaçari.

Em sua homilia, Dom Carlos abordou sobre a importância do servir e não ser servido, assim como Jesus veio a nós como Mestre para servir e não para ser servido. Exortando que onde estivermos devemos ser presença amorosa de Deus. E indagando os congressistas: Será que estamos sendo? Será que estamos fazendo a vontade de Deus como Ele quer?

Usando a expressão de Paulo exortou que no nosso serviço nos diversos ministérios em nossos Grupos de Oração possamos dizer no final: “Combati o bom combate completei a corrida, guardei a fé.”

Desse modo, Dom Carlos alegou que os congressistas, servos devem servir ao Senhor em seus Grupos de Oração, reconhecendo-se pecadores, porém chamados a serem santos cuidando, para ser sempre humilde porque, quem se eleva será humilhado e quem se humilha será exaltado.

Dom Carlos ainda questionou os congressistas: Será que Jesus está sendo nosso Porto Seguro, não a cidade, mas o lugar onde coloco o Senhor como centro do meu coração. Exortando que é preciso preparar um lugar sagrado em nosso coração para Ele, bem como, o deixar-se guiar por Ele e viver o chamado da Comunhão Fraterna. Ele deve ser o dono de tudo, o dono da nossa casa e da nossa vida.

Com a benção e o envio os congressistas retornaram as suas casas repletos do Espírito Santo para serem instrumentos de Deus em seus Grupos de Oração e onde estiverem, alegres e felizes com o cumprimento da Promessa de Deus em suas vidas e na vida daqueles que deixaram em suas casas e dos que pediram suas orações. 


«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga