Slider

Vídeos

Notícias

Ministérios

Artigos

Formação e Espiritualidade

RCC Brasil

Dioceses

» » » » Desafios atuais para Escuta Profética

Evidente que todos aqueles que se decidiram por Deus, que encontraram a verdade, o caminho e a vida que é Cristo, desejam permanecer Nele e com Ele. Para que isso aconteça, se faz necessário dar passos na direção que o Senhor conduzir; para ouvir o direcionamento do caminho que se deve trilhar é necessário estar de ouvidos atentos e alinhados às coordenadas do Rei. Obviamente, quem escuta e ouve o Senhor encontra felicidade e realização em sua trajetória cristã.

São encontrados atualmente desafios em um mundo tecnológico, virtual e digital que muitas vezes produz em nós agitação, estresse, “correria”, aceleração, percalços, somos vitimados pela Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA). Esses agem como retardatários na vida dos filhos de Deus, impedindo assim que encontrem com mais frequência o silêncio interior que propicia a experiência com Deus que fala na Escuta Profética. É o mesmo que afirmar: Estamos e encontramos um número superior de pessoas que não conseguem silenciar na oração, não conseguem ter certeza se ouvem a voz de Deus, as influências exteriores estão vencendo a prática e a predominância da oração constante na vida, e a vida de oração.

Uma das evidências é encontrar pessoas duvidosas, ou com incapacidade de concentração na oração pessoal, que não conseguem identificar quando é o Senhor que fala; com dúvidas se o direcionamento é externo ou interior vindo do trono de Deus. Como Samuel que ao ouvir a voz do Senhor ao chamá-lo, quando pronunciava o seu nome enquanto estava deitado no santuário onde se encontrava a arca de Deus, confundiu-se, chegando a pensar que era Eli o seu Senhor ao qual servia em nome de Javé e que estava no seu quarto deitado. Samuel por três vezes pensou que a voz era de Eli, mas era Javé que o chamava. (1Sm 3, 1-10).

Encontramos hoje, também, pessoas que não conseguem rezar ou orar a Deus com qualidade, e acabam optando pela quantidade de oração, acabam buscando muitos tipos de orações que são apresentadas e acabam, por fim, sem orientação. Seria como fazer muito e não fazer o necessário! Saber o que se vai rezar é importantíssimo; falando em linguagem figurada: não se usa a mesma arma para todos os combates, não posso ir para uma guerra com apenas uma espingarda, tampouco em todas as horas usar o canhão, quero dizer que para cada combate usa-se a arma apropriada. Como servo de Deus, preciso saber do Senhor qual oração deve ser feita naquele momento, como devo me posicionar em cada situação.

Tudo isso tem gerado preocupação, outra palavra e circunstância que não deve existir no vocabulário do cristão, já que preocupar-se é ocupar-se antecipadamente em relação a algo; a preocupação atrapalha a Escuta Profética, tê-la é o mesmo que arrancar os alicerces da escuta. Ser todo dependente de Deus é estar despreocupado, é estar em total abandono nos braços do Pai, quando estamos todo em Deus conseguimos ouvi-lo. Na Palavra, o Senhor diz “não se preocupem com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas preocupações” (Mt 6,34). Quando estamos preocupados prejudicamos o nosso canal de escuta; portanto, despreocupar-se é dar livre acesso à voz do Espírito Santo de Deus.

Usar as armas espirituais da Igreja é a melhor opção para solucionar toda essa problemática; são sábios os conhecimentos dados pela Igreja para todos os seus filhos a fim de vencer os desafios constantes do mundo atual. Oração, Jejum, Palavra, Eucaristia, Sacramentos, Ascese, Mortificações, Renúncias, Obediência, Compromisso, Disciplina, Fé, e muitas outras preciosas armas espirituais estão ao nosso alcance. O bastante para serem usadas ao nosso favor, para a vitória sobre aquilo que se levanta para nos tirar do caminho de Deus.

O desejo do coração de Deus é que nenhum dos seus filhos se perca; com a Escuta Profética somos capazes de colher a alegria de Deus, ir ao encontro de tudo aquilo que o Senhor preparou para a nossa salvação. Não podemos atribuí-la somente a um grupo ou Ministério, esta deve ser objeto constante nas pré-decisões na história de todo servo e filho de Deus.

Sem dúvida é um alerta para os que desejam ter uma dinâmica de oração perene, que não cessa, ou seja, estar em constante sintonia com o Espírito Santo. Assim como diz a frase: “Ainda que estoure uma guerra ao meu redor, eu estarei em paz” (Eric Maria). Provavelmente não conseguiremos mudar o mundo, mas poderemos, com a graça de Deus e sabedoria, encontrar na Escuta Profética as estratégias que possibilitem o desenvolvimento e crescimento espiritual, encontrar formas para escutar o Senhor. Viver na escuta profética é viver profeticamente. Ter certeza quando se ouve a voz do Senhor e seguir o que Ele nos diz, sem dúvidas, é o que devemos alcançar.

Eric Batista Figueiredo
Coordenador Estadual do Ministério de Intercessão - RCC BAHIA.
Grupo de Oração O Pai Me Ama.
Diocese de Caetité-BA.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga