Estão abertas as inscrições para o Estadual para Coordenadores e Núcleos de Grupos de Oração

Slider

Vídeos

Notícias

Ministérios

Artigos

Formação e Espiritualidade

RCC Brasil

SOMOS TEMPLOS DO ESPÍRITO SANTO DE DEUS




    Na Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate -sobre o chamado à santidade no mundo atual”, o Papa Francisco, propõe à Igreja no mundo inteiro, uma reflexão sobre o convite à santidade que Deus faz a cada um de nós. Na vida cotidiana, nas nossas atividades paroquiais, nos nossos grupos de oração, na vida em comunidade e em todos os espaços em que estamos, somos convidados à uma vida virtuosa, pois, é o Espírito de Deus que nos santifica e habita em nós. E com esta verdade, permeia e direciona a nossa vida cristã, rumo à construção de um testemunho de santidade,  como fez com todos os santos que já viveram antes de nós. São Paulo escreve na 1° Carta ao povo de Coríntios, recomendações quanto a nossa condição humana diante de Deus. Somos para o Senhor, templos onde ele quer morar, somos sua morada: “Não sabeis que sois Templos de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?"(cf 1° Cor 3,16). Você está recordado desta verdade?

              Quantos são os acontecimentos que provocam em nós o esquecimento de que não somos meros corpos? E que sim, somos uma morada santa. Mundialmente falando, 2020 foi um ano rico em desafios a nossa santidade, nossa fé foi provada, nossas emoções foram desafiadas, precisamos aprender a viver com novas perspectivas. E em meio a tudo isso: as missas não eram presenciais, os grupos de oração suspensos, os retiros e eventos adiados e todos os desafios que enfrentamos para viver nossa fé sem ir à Igreja. Dentro de nós uma mistura de emoções: a esperança e desejo de que tudo voltasse logo ao normal, os medos, as tragédias noticiadas… E tudo fez um barulho tão grande, que por alguns momentosfomostentados a esquecer de que “Deus sempre esteve aí, em você, juntoà você, em você.” Somos templos do Espírito Santo, este Espírito que vem nos santificar, que vem gerar em nós, os frutos de santificação descritos em Gálatas 5.

              Somos de diversas formas desafiados a duvidar da santidade, a duvidar que você é convidado a ser santo e que Deus espera sua resposta. Deus escolheu habitar dentro de cada um de nós, pois para Ele, não há ninguém mais valioso que você, por que Ele é o arquiteto capaz de construir a obra mais perfeita, o agricultor capaz de fazer a mais bela colheita. E seu corpo é a obra mais plena e o terreno mais fértil que o senhor pode usar para chegar a muitos. Por mais que você esteja devastado, sujo pelos pecados, não duvide que Deus é capaz de lhe refazer, reconstruir e edificar você como templo sagrado e escolhido. “Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá. Porque o templo de Deus é sagrado – e isso sois vós” (I Cor 3,17). Deus revela que ele já destruiu o destruidor. Ele está pronto para reconstruir as ruínas, levantar os templos e nos santificar. Basta que estejamos dispostos a pedir e aceitar sua vontade e frutos de santificação, que nos são dados por meio do seu Espirito Santo, que habita em nós.

 

Andreia Santos Pereira

Grupo de Oração Reviver

Coordenadora Diocesana do Ministério de Formação – Diocese de Serrinha, BA


O adoecimento da Igreja militante


     Nosso corpo para ser saudável, precisa de boa alimentação. Se não fornecermos os nutrientes que as células precisam para funcionar, travará alguma função, por falta de alimento.

Somos membros do Corpo de Cristo, Sua Igreja, “Com efeito, o corpo é um e, não obstante, tem muitos membros, mas todos os membros do corpo, apesar de serem muitos, formam um só corpo. Assim também acontece com Cristo”(1Cor 12,12).

Esse corpo também precisa ser bem nutrido para ter vida interior. À luz da Sagrada Escritura, da Tradição viva e do Magistério autêntico, a Sã Doutrina (cfTt 2,1) que o Espírito Santo sugeriu à Igreja no decurso dos tempos, nos propõe todos os nutrientes espirituais necessários.

Eis alguns, Lectio Divina, comunhão e adoração eucarística, vida de oração, Sacramentos, Obras de Misericórdia, Virtudes Cardeais e Teologais, entre outros, que contribuirão eficazmente para uma efusão perene do Espírito Santo.

O inimigo de Deus, tem semeado o joio, tentando causar a morte dos membros da Igreja Viva de Cristo. Esse inimigo se disfarça nas mais diversas e influentes figuras humanas, com estratégias tão enganosas, a ponto de confundir até os fiéis.

Inegavelmente, muitos membros do Corpo de Cristo, como ovelhas inocentes, tem ingerido alimento nocivo, chegando ao adoecimento. A propagação gigantesca de conteúdo contrário ao Evangelho, se dá pela velocidade supersônica dos meios de comunicação.

Embora se deva levar em conta a liberdade individual e responsabilidade de cada um, o pastoreio do Magistério, precisa ser muito mais eficiente, cada vez mais fiel aos ensinamentos de Cristo, Cabeça da Igreja.

Através do genuíno batismo no Espírito Santo, ajudaremos a cuidar dos membros doentes, a fim de que a multidão de membros tenha vida em abundância (cfJo 10,10) e seja uma Igreja militante saudável.

 

Jeilson Ferreira de Sousa, Grupo de Oração Vida Nova em Cristo.

Coordenador diocesano do Ministério de Formação da Diocese de Bonfim, Professor de Informática

Metanoia e Liderança Comprometida


     “Um único raio de sol é suficiente para afastar muitas sombras.” (São Francisco de Assis)

A verdadeira mudança de vida acontece quando esta perpassa as mudanças internas do ser humano a ponto de se tornarem visíveis no seu dia a dia. Deve-se reconhecer que este processo é gradual a partir de estímulos contínuos e perene no desenvolvimento/crescimento humano e espiritual do indivíduo. É o que chamamos de metanoia: “mudança essencial de pensamento ou de caráter” também entendida como “transformação espiritual”ao qual, do ponto de vista teológico, representa o processo de conversão do indivíduo para determinada doutrina e, esta, necessita de acompanhamento.

São João Paulo II orienta a todos os cristãos em sua carta apostólica Novo Millennio Ineunte, n. 32da seguinte forma: “Nós que temos a graça de acreditar em Cristo, revelador do Pai e Salvador do mundo, temos obrigação de mostrar a profundidade a que pode levar o relacionamento com Ele”. Percebe-se então a grandiosidade da responsabilidade que foi dada por Deus, por meio do “chamado” aos líderes da Renovação Carismática Católica em todas as suas nuanças. Vai muito além de estar em unidade de pensamento ou compartilhar conhecimento, é estar junto na caminhada, estimular à vida de oração do outro, orientar ao discernimento à luz do Espírito Santo e afastar-se quando necessário para que outro aprenda a agir com autonomia, reconhecendo-se como pessoa amada por Deus.

Moisés viu a terra prometida, mas não entrou nela, porém, sua alegria não lhe foi tirada porque ela estava em fazer a vontade do Senhor e ele o fez ao conduzi-los à terra prometida, instruí-los na Lei do Senhor Deus e exortá-los a não se afastarem do Senhor. Ele fez a parte que lhe cabia e sua recompensa é aparecer ao lado de Jesus em sua transfiguração (Mt 17,1-13; Lc 9,28-36) e fazer parte do Reino de Deus como um dos grandes profetas!

E como já dizia São Francisco de Assis “Ninguém é suficientemente perfeito, que não se possa aprender com o outro e, ninguém é totalmente destituído de valores que não possa ensinar algo ao seu irmão” por isso, pastorear e ser pastoreado é uma via de mão dupla onde a generosidade e humildade são como “adubos na planta que se quer crescer”!


Juscineia dos Passos Castro – Grupo de Oração Chama do Amor Divino, Paróquia São José Operário, coordenadora Diocesana do Ministério de Formação – Juazeiro– Bahia.Formada em Magistério e Licenciatura Plena em Pedagogia, Docência e Gestão de Processos Educativos  pela Universidade Estadual da Bahia – UNEB.

AS PRÁTICAS ESPIRITUAIS NA VIDA CRISTÃ


     Se as práticas espirituais ainda não fazem parte da vida cristã, faz-se necessário que os fiéis comecem a pô-las em prática imediatamente, visto que, elas são um dos caminhos para ter intimidade com Deus, ou seja,  é como uma bússola que mantém viva a vida espiritual de todo cristão. Tais práticas precisam ser estudadas e conhecidas para que assim possamos usá-las, não apenas quando quisermos ou precisarmos, mais como  caminho de salvação e de intimidade com  Deus.

Esse caminho que, com a ajuda do Espirito Santo, leva as ovelhas a uma busca constante pela santidade, perpassa pelas práticas espirituais: Oração Pessoal, Jejum, Lectio Divina, Confissão, Oração do Rosário e Adoração ao Santíssimo Sacramento. Tais exercícios, são um grande auxílio para  todos que começam a exercer a espiritualidade através dessa caminhada, pois a mesma  permitirá aos cristãos serem amigos de Cristo e  ter cada vez mais o desejo de ser cristão, sob os moldes Daquele que deu a vida para nos salvar.

No entanto, faz-se necessário entendermos que necessitamos ser dependentes de Cristo que nos diz: “... sem mim nada podeis fazer” (Jo 15, 5) para que possamos trilhar essa caminhada, entendendo que sozinhos nós não somos capazes de começar e terminar qualquer coisa. Mas, com a ajuda do Espirito Santo, conseguiremos ser disciplinados e assim sobreviver às batalhas que são travadas para conseguirmos ser seguidores e imitadores de Jesus Cristo. "O progresso espiritual envolve exercício e mortificação, que levam gradualmente a viver na paz e na alegria das bem-aventuranças", conforme o CIC 2015.

Portanto, para que haja crescimento na nossa vida de cristão carismáticos e de apóstolos da efusão do Espírito é preciso pedirmos a Deus para nos dar sabedoria e discernimento e com isso adquirirmos o costume de exercitar e praticar, nos levando à fidelidade e a ser cada vez mais parecido com o nosso bom Deus, tornando-se assim um servo fiel e zeloso, que espelha-se no Cristo Jesus e busca cada vez ser melhor enquanto missionário do Senhor.

 

Elaine Soares Santos

Grupo de Oração Rios de Água Viva

Coordenadora Arquidiocesana do MF/ RCC Feira de Santana

SER REFLEXO DE CRISTO

 

Todos nós somos chamados a ser reflexo de Cristo, mas afinal, o que é ser reflexo? Reflexo significa luz, imagem e tem como sinônimo: cópia, imitação, espelho, retrato, reprodução e etc.

Nosso primeiro chamado vem de Deus Pai, aquele que nos formou à sua imagem e semelhança (Gn1,26). Deus nos criou para sermos “reflexo”, imitadores de Cristo, assim, São Paulo nos exorta em sua carta aos Efésios: “Sede pois imitadores de Deus, como filho muito amados” (Efe 5,1).

Para refletir e imitar a Cristo, nós precisamos conhecê-lo, e um dos caminhos para conhecer Jesus é o estudo e meditação da sagrada escritura, vivencia dos sacramentos, oração pessoal e comunitária, participação na Santa Missa.

Essa busca de conhecimento e intimidade com Jesus nos transforma e capacita para a evangelização, onde a graça de Deus é derramada sobre nós e a luz de Cristo é refletida em nossa face, nossas ações, palavras e atitudes. (Jo 1,9)

Como discípulos amados do Mestre, somos chamados a ser testemunhas fiéis, a ser reflexo de seu pensar, falar, sentir e agir, em nossa casa, trabalho, comunidade, cidade e aonde estivermos. O próprio Cristo nos diz: “Vós sois a luz do mundo” (Mt 5,14).

 

Tarlane Serafim Vendramini

Grupo de Oração Renascidos de Maria – Paroquia Nossa Senhora da Saúde – Porto Seguro – BA.

Coordenadora Diocesana do MF/Eunápolis. . Graduada em Educação Física. Pós graduação em Fisiologia do Exercício.

Psicologia: a ciência afeiçoando vidas em parceria com o cristianismo


    Eu vim para que tenham vida, e vida em abundância” (João 10,10b).

A grande mensagem que Jesus propaga, com palavras e ações, em todo desdobrar do seu evangelho, é que Ele veio trazer vida a todos. E esse ‘todos’ aí, começa justamente em você. Claro que o Bom Pastor, quando fala de vida, ultrapassa as dimensões terrenas. Mas Ele também se refere ao momento presente. Afinal de contas, como teremos uma vida eterna se não a possuímos primeiramente no aqui e agora? Amados, é importante tomar consciência de que a vida precisa ser constituída e preservada integralmente. Mas por diversos fatores, pessoais e sociais, ela acaba ficando comprometida.

Muitas vezes, você deixa de olhar para si, de se valorizar, de se admirar. Suas crenças e valores em relação a si mesmo, podem ser tão negativas e depreciativas, que a perspectiva de plenitude proposta por Jesus para você, pode estar sucumbida. E aí eu te questiono, o quanto você tem investido nos cuidados com o seu ser emocional? Cuidar da autoestima, identificar os pensamentos, equilibrar os relacionamentos, manejar adequadamente os sentimentos, desenvolver inteligência emocional... Isso é cuidar dessa pessoa que além de físico/bio e espiritual, é também psicológico. O Santo Padre Francisco descreve na carta Encíclica Laudato Si: “cada um de nós tem em si uma identidade pessoal, capaz de entrar em diálogo com os outros e com o próprio Deus. A capacidade de reflexão, o raciocínio, a criatividade, a interpretação, a elaboração artística e outras capacidades originais manifestam uma singularidade que transcende o âmbito físico e biológico”.

A psicologia cumpre perfeitamente o seu papel quando consegue aprimorar os nossos aspectos psíquicos e comportamentais. Mas isso só é possível quando permitimos que as técnicas e teorias dessa ciência nos ensinem a sermos pessoa mais humanas, que se relacionam melhor consigo e com os outros. Quando nos propomos a trilhar o processo de autoconhecimento, isso nos garante, dentre outras coisas, um crescimento pessoal, nos permite um maior autocontrole, passamos a ver os problemas sobre uma nova ótica, praticamos a empatia, desenvolvemos o amor por si mesmo e respeito pelos outros. Opa! Então podemos dizer que também passamos a amar mais as pessoas? Sim! Então, isso é ter vida e ofertar vida em abundância. Isso é a psicologia em parceria com o cristianismo aprimorando os filhos de Deus.

 Viva essa parceria!

Maria Cristina A. de Jesus - membro da Comunidade de Aliança Rainha da Paz. Coordenadora diocesana do Ministério de formação - Itabuna. Psicóloga clínica, pós graduada em terapia cognitivo comportamental.

 

 

Primeiro a devoção, depois a diversão?


Você já ouviu esta expressão: primeiro a devoção, depois a diversão? Certamente, o provérbio que você conhece diz exatamente assim: primeiro a obrigação, depois a devoção. Então, na casa da minha mãe o provérbio original foi adaptado e remodelado de modo que atendia à cultura e organização da família. Tínhamos que primeiro participar da Santa Missa aos domingos e somente depois, poderíamos usufruir das outras programações relacionadas ao lazer, ao ócio e à diversão.

Hoje, entendo perfeitamente o ponto de vista da minha mãe, como uma mulher de fé, católica e carismática, estava apenas nos transmitindo os atos de culto da religião católica, reforçando o respeito pelo Dia do Senhor, o terceiro mandamento do Decálogo (Dt. 5,12). No Novo Testamento, Jesus aperfeiçoa a Lei e o sábado passa a ser substituído pelo domingo, que lembra a criação nova, com a Ressurreição de Cristo (CIC 2190). Minha mãe entendeu perfeitamente o significado de “igreja doméstica” (CIC 1655) na educação e iniciação da vida cristã dos seus filhos.

Interessante que, o catecismo traz a importância de vivermos o domingo de forma plena e edificante, é um dia de santificação, voltado à piedade cristã, mas, um dia para vivermos de modo pleno. O domingo também é o dia da família, o dia do lazer, da ludicidade, da diversão, do ócio criativo, da brincadeira. E brincadeira, não é somente coisa de criança ou para as crianças, muito pelo contrário, a ação do brincar faz parte do desenvolvimento humano em todas as suas fases e em  diferentes faixas etárias. Os jogos e brincadeiras também foram presentes na vida dos Santos. Certa vez, São Domingos Sávio, ainda menino, brincava normalmente como todo menino. Perguntado sobre o que faria se soubesse que Jesus estaria a chegar naquele momento, respondeu com serenidade de quem não tem o que temer que “continuaria brincando” (Histórias de Vida - Pe. Antonio Queiroz;c.ss.r).

Muitos pesquisadores das áreas de Psicologia e Educação defendem a importância do brincar como forma de ação cognitiva (ação do pensamento), como meio de elaboração e reelaboração de conhecimentos, símbolos e significados da vida em sociedade. Brincar faz bem, é saudável, independe da idade cronológica e desperta a nossa criança interior! Por isso, que sabiamente a igreja evoca aos cristãos, guardar os domingos, pois, é o dia da Ressurreição do Senhor, dia santo, dia de alegria, dia da família e dia de brincar!

                                                                      

Mª Anete Marçal – Grupo de Oração Vem Senhor Jesus, paróquia São Cristóvão, coordenadora Arquidiocesana do Ministério de formação em São Salvador da Bahia. Pedagoga, Psicopedagoga, Psicoterapeuta e graduanda em Psicologia.