Slider

Vídeos

Notícias

Ministérios

Artigos

Formação e Espiritualidade

RCC Brasil

Dioceses

» » » » #EECNGO Conversão Sincera (pregação 1)


A primeira pregação do Encontro Estadual de Coordenadores e Núcleos de Grupos de Oração (EECNGO), realizada por Taciano Souza Nascimento, coordenador  do Grupo de Oração Magnificat (Irecê – BA) trouxe de cara um pedido às lideranças da Renovação Carismática Católica (RCC) de toda a Bahia, que fizeram suas renúncias e a escolha de estarem no evento em Feira de Santana. De realmente estar com os corações e os ouvidos bem abertos e atentos.

“Tantas vezes vamos aos Grupo de Oração querendo um consolo de Deus. Muitas vezes nos colocamos diante de Deus querendo que Jesus fale ao nosso coração. Vamos diante do Senhor depois do trabalho, já cansados, mas muitas vezes com nossos corações já estão inclinados a ouvir de Deus aquilo que nos agrade, tantas vezes não conseguimos ouvir o que Deus tem a dizer porque muitas vezes a vontade de Deus não coincide com a nossa vontade”.

Taciano continuou alertando que colocamos diante do Senhor buscando, até com reta intenção, ouvir Sua vontade, querendo respostas as nossas necessidades. Mas muitas vezes saímos decepcionados porque não temos a resposta que queríamos. “O primeiro convite que Deus nos faz é a uma conversão sincera. Talvez nós quiséssemos ouvir sobre o Amor de Deus que nos atraiu, que nos conquistou, que nos consola e não tivéssemos tanto esse desejo que ouvir esse primeiro convite de nos converter. Eis o convite de Deus para você: Conversão Sincera”.

Para o coordenador do Grupo de Oração Magnificat, somos resultado de uma profunda experiência com Jesus Cristo. Batizados pelo Espírito Santo (BES). Essa experiência foi uma virada radical para cada um de nós. Por meio do Batismo no Espírito Santo gerou a graça de uma profissão de fé.

O ex-coordenador do Conselho Estadual da RCC Bahia exemplificou que Pedro a partir do seu encontro com Jesus professou sua fé, porém poderíamos pensar que após a profissão de Pedro, ele jamais fosse negar Jesus. Mas assim como Pedro, negou Jesus, nós também muitas vezes o fazemos. “Por meio do BES Deus modifica nossa vida, confundindo a muitos que nos conheceram antes dessa graça, nos chamando até mesmo de doidos, até duvidam se de fato, houve uma transformação, até dizem que estamos nos Grupos de Oração para buscar status na Igreja”.

O pregador alertou que a efusão no Espírito Santo não é suficiente para nos justificar diante do Senhor, essa vivência é especial, houve a mudança, não há dúvida, mas há uma realidade que nos atinge que acharmos que já abandonamos a vida de pecado, exortando-os por meio do livro “As três idades da vida interior – Pe Reginald Garrigou Lagrange” que muitas almas não saem do estágio iniciante devido a preguiça espiritual.

Ele lembra que muitas vezes você olha para aquele servo achando que ele é santo. Olha como ele ministra a música! Olha aquele intercessor! Você não define o santo pelo carisma. Assim, se entregam a tibieza e se tornam uma alma retardatária, não progride. “Será que você não está a mesma pessoa de 5 anos, de 10 anos atrás”. Deus está nos exortando neste encontro a vivermos uma Conversão Sincera, precisamos dar mais passos, Deus está nos chamando a ir além.

Em Ap 2, 1-5 Deus fala a Igreja de Éfeso para retornar de onde caiu, retornar ao primeiro amor. Deus elogia, vê as obras, valorizando a Igreja de Éfeso, exalta o sofrimento, a perseverança, mas exorta a volta, Ele reprova a conduta. Apesar de ter perseverado, a Igreja negou, caiu. Ele clama o retorno, porque se não retornar.

O que Deus reprovou na Igreja de Éfeso, porque eles estavam servindo a Jesus para engrandecer a si mesmos. Faziam as coisas certas, mas a finalidade estava errada e não estavam com Deus. Era preciso retornar ao primeiro amor, reconhecer que antes de fazer as coisas para Deus eu preciso estar com Deus, Amar a Deus acima de todas as coisas. Acima do nosso ministério. “Infelizmente, estamos sendo tentados a ser meros funcionários. Arrefeceu o amor. Fazemos coisas para Deus, mas não estamos com Deus”.

Taciano questionou a todos os coordenadores: “Você se lembra do seu Batismo no Espírito Santo? Você estava com o Senhor, queria que todos fossem batizados e experimentassem daquela alegria”. O que acontece com o carismático que está preocupado em só fazer as coisas para o Senhor? A consequência lógica é cair na tibieza, que é uma mornidão espiritual. Você está morno na fé¿.

Santa Tereza de Ávila - Três realidades da alma, ela descreve o santo, o pecador e o mundano: O santo, é aquele que renuncia os pecados mortais e luta para não cometerem os pecados veniais e tem um desejo ardente pelo Senhor; o pecador é aquele que ainda está na via de pecado, que ainda não conseguiu renunciar os pecados mortais e veniais, portanto, essa pessoa continua servindo, continua no ministério. Porém entre o santo e o pecador existe esse sujeito terrível, mundano, que foi batizado, mas caiu na tibieza espiritual e na mornidão espiritual e essa pessoa está na presença do Senhor, que ela compara ao Rei no Castelo e essa pessoa abre a janela e começa a olhar a vida dos pecadores e começa a se lamentar: “Como eu sou infeliz! Nossa minha vida é uma desgraça! E assim, a pessoa começa a invejar a vida as outras pessoas. Abre a janela da alma e contempla o mundo. Tudo é motivo de murmuração. Isso é terrível. Isso está acontecendo na vida de muitos carismáticos”. A alma cai no pecado da Vaidade. A pessoa que se apegou ao cargo que exerce. Julgando que nenhuma pessoa é capaz de fazer um planejamento, fazer igual ao que “eu faço”. Tudo o que faz é para engrandecimento a si mesmo.

Outro perigo: Quem é que tem vida pessoal de oração diária? Mas você é vaidoso e você fica se observando, e diz: “olha como eu sou piedoso? Como eu progredi na espiritualidade? Você começa a se autocontempla. Você está sozinho na capela, mas você deseja que alguém te veja adorando ao Senhor”. Isto se chama, vaidade. Você exerce um serviço, mas a alma na tibieza faz as coisas para se engrandecer.

O Senhor nos chama a conversão sincera. Ele lembra que o Pe. Paulo Ricardo chama de segunda conversão. “Estamos falando para pessoas convertidas. Vai volta na tua verdade. Vende tudo que tens e dá aos pobres. O jovem já não pecava segundo aos mandamentos, Jesus o amou, mas o exortou a vender tudo que tinha” (Lucas 18).

No diário de bordo do ENF tem um texto de Kátia Roldis Zavaris -  um coração que se abre verdadeiramente para Jesus. “Saiam dessa vida medíocre. Das coisas pequenas. Deus está pedindo mais de você”.  Infelizmente, estamos nos conformando com o mundo. Cuidado carismáticos que andam na mesma forma do mundo. Que usam as mesmas roupas, os mesmos anticoncepcionais, desprezando os projetos de Deus para a família.

“Não vos conformeis com esse mundo, mas vos transformai pelo Espírito para discernir o que é de Deus” (Rm 12). Você que é liderança pode até dizer: “Eis que deixamos tudo Senhor para te servir, mas tem uma coisa que não entregamos a Jesus ainda:  nós mesmo”.  Renegar a si mesmo, aniquilar a si mesmo para abraçar a Cruz. Amar mais a Deus do que o seu ministério. “Esse é o remédio para a conversão sincera:  amar mais a Deus”.

“Devemos estar dispostos a entregar tudo a Jesus, se Ele nos pede. Está preparado para entregar a sua coordenação?”. Temos que dar passos para a conversão sincera. Não podemos estar apegados

O primeiro passo para a conversão sincera é romper com o mundo de uma vez por todas.  “A perfeição é amar ardentemente ao Senhor Jesus e ter uma vida de santidade. Jesus desejou que você estivesse aqui não para fazer coisas, mas para ficar na presença d”Ele”.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga